COMO EXECUTAR JARDINS VERTICAIS ESPETACULARES?

cadastre-se e descubra como se diferenciar no mercado

5 Segredos para Projetar um Jardim Vertical de Sucesso

Conheça muito bem a técnica de aplicação do método construtivo escolhido

Executar um jardim vertical de sucesso deve ser o seu maior objetivo, mas o que é um vertical de sucesso? O que o define? Um vertical que dá certo é aquele que ao longo do tempo fica cada vez mais bonito e admirável, da mesa forma em que não necessita manutenções intensas e frequentes. Assim, se ocorrem trocas frequentes de plantas, podas ou substituição de componentes da irrigação, isso significa que seu jardim vertical pecou em alguma etapa do processo, seja no planejamento ou na execução. Portanto, para chegar num excelente resultado, a curto e a longo prazo, é preciso seguir algumas etapas simples e importantíssimas para que os seus verticais sejam um verdadeiro sucesso.

Etapas chave para ter um vertical de sucesso

Considerando que o vertical deve ser executado como uma solução para o cliente, jamais como algo que dê trabalho para ele, separei 5 segredos essenciais para que o seu jardim vertical dê certo:

  1. Método construtivo: essa é uma das decisões mais importantes, que se refere a estrutura que você irá utilizar, ou seja, é a base de tudo. Na Acer Haus utilizamos o Plastwall que é o sistema modular de calhas plásticas, o qual nunca me deixou na mão. Há vários outros sistemas que podem dar certo também, como o sistema hidropônico, por exemplo. Basta você escolher o que vai garantir a saúde das plantas, que será possível utilizar em todos os ambiente possíveis e, principalmente aquele método construtivo que você domina, sempre executando conforme a técnica. Não se arrisque a fazer um jardim vertical profissionalmente se você não domina o método construtivo escolhido. O resultado, provavelmente vai ser frustrante tanto para você quando para o cliente.
  2. Sistema de irrigação: tenha sempre em mente que a irrigação é o maior segredo dos jardins verticais. Ela é a responsável por manter as plantas saudáveis e cada dia mais bonitas, além de propiciar longevidade ao seu projeto. É por conta de um bom sistema de irrigação, que os seus jardins verticais se tornam autônomos e podem ficar sem cuidados muitas vezes por até 6 meses. Portanto, se você falhar com a irrigação, com certeza você terá problemas e se você oferecer um vertical sem o sistema de irrigação, seu projeto não é profissional e sim amador. Eu sempre prefiro utilizar o controlador elétrico, que considero o cérebro do sistema de irrigação, ou seja, ele é um dos grandes responsáveis pelo sucesso do seu projeto.
  3. Escolha das plantas: é preciso conhecer a fisiologia das plantas para garantir que elas irão se adaptar no vertical, sendo esse um dos erros mais comuns encontrados em jardins verticais que não deram certo. Dessa forma, é preciso saber sobre a necessidade hídrica das plantas, o nível de iluminação (planta de sol ou de meia-sombra?), com quais espécies elas podem ser combinadas e afins. Um jardim vertical precisa de plantas volumosas e pendentes para o compor, pelo menos, a maioria dos módulos, pois é isso que dá o aspecto de “Urban Jungle” a ele. Além disso, a quantificação das plantas também influencia, sendo o ideal 50% de plantas adultas e 50% de plantas jovens, de forma que a beleza do vertical só irá aumentar. Portanto, estude e conheça sobre a fisiologia das plantas para adaptar a escolha ao ambiente do cliente.
  4. Alinhamento com o cliente: esse segredo diz respeito a deixar as expectativas alinhadas, ou seja, o cliente estar ciente do que você vai entregar e você saber o que o cliente espera. É importante você explicar para o seu cliente a forma como vai trabalhar, mostrando que você sabe do que está falando e que o resultado esperado será alcançado a partir das suas técnicas profissionais. Um exemplo disso é explicar o porquê de fazer um mix de plantas jovens e adultas, mostrando que você está dando condições para que as plantas se desenvolvam e alcancem uma saúde e uma beleza cada vez maior naquelas condições. De que o uso puro e simples de apenas plantas adultas, apesar de um impacto imediato, leva ao encarecimento do vertical, e a um estresse maior das plantas, que tem menor capacidade adaptativa do que plantas jovens.
  5. Pós-venda: o que adianta você instalar um vertical incrível, mas não oferecer assistência ao seu cliente? Se você entrega um bem durável, leve em consideração que ele precisará contar com você para solucionar problemas ou fazer a manutenção regular, caso contrário essa tarefa recairá sobre outra pessoa e isso poderá prejudicar o jardim vertical, além de você ter perdido um cliente. O ideal é que o você contate o cliente para manutenções programadas, ao invés de você esperar que ele o chame. Agende um aviso para que a cada 6 em 6 meses, você possa agendar uma manutenção preventiva com seu cliente e assim evitar problemas que afetem a beleza e saúde do vertical. Além de ser um suporte necessário, o pós-venda também é uma forma de você se aproximar do cliente e fazer novas vendas para ele ou incentivar que ele te recomende.

Tenho certeza de que se você seguir essas 5 dicas valiosas, sua empresa só crescerá. Afinal, quando se mostra um bom serviço não será só você que fará o seu marketing, mas também o próprio cliente ou arquiteto parceiro que irá passar a te recomendar. Por isso, é importante sempre se manter atualizado(a) no seu nicho e buscar aperfeiçoar suas técnicas e atendimento. Fazendo isso é impossível não atingir verticais de alto padrão, bem como uma empresa de sucesso. Portanto, instalar o jardim vertical é o básico que você precisa para começar, mas para atingir o sucesso também é preciso entender da parte comercial, com a união dessas duas coisas sendo bem-feitas o índice de conquistas e crescimento só irá aumentar.

Redação: Bruna Camargo Correa

Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no pinterest
Pinterest

PARTICIPE! DE 08 A 12 DE NOVEMBRO
100% Online gratuito