COMO EXECUTAR JARDINS VERTICAIS ESPETACULARES?

cadastre-se e descubra como se diferenciar no mercado

4 Erros para não cometer na sua empresa de jardins verticais

Uma empresa não nasce perfeita, sempre cometemos um erro ou outro seja na gestão, financeiro ou até mesmo nos projetos. No entanto, há conselhos que qualquer empreendedor iniciante, no nicho dos jardins verticais, gostaria de receber. Nesse artigo vou te aconselhar mostrando quais os 4 erros principais que você não pode cometer na sua empresa, com base na minha experiência no mercado de jardins verticais.

1. Não venda jardim vertical a qualquer custo

Se tem uma coisa que deixa o paisagista empolgado é a primeira venda. Depois que conseguimos o nosso primeiro cliente começamos a idealizar os próximos projetos e imaginar o quão rico e belo ficará nosso portfólio. Mas, é aí que precisamos tomar cuidado.

Apesar de ser muito emocionante a experiência de venda de um vertical, de vê-lo pronto e o cliente satisfeito, e de colocá-lo no portfólio como referência para gerar novas vendas, não podemos vender o vertical a qualquer custo.

É comum o cliente querer parcelar a compra em muitas vezes, situação perigosa, pois, se você permitir, pagará o preço do vertical (desde a mão de obra até os materiais) sem antes receber e, provavelmente, será prejudicado. Procure parcelar no máximo em 2x, de forma que o cliente pague 50% no ato da compra e o restante na entrega da obra. Dessa forma você terá caixa para realizar a obra e não se endividará.

Outra situação que você irá se deparar com frequência é quando o cliente quer colocar preço no seu serviço, destacando que você é iniciante. Lembre-se que o seu cliente já sabe mais ou menos quanto custa um jardim vertical e ele não deve precificar o seu serviço.

Se dê o devido valor. Valorize o seu estudo, o seu aprendizado, a sua técnica e o seu trabalho honesto e de qualidade. Saiba os seus limites de descontos. Não venda o vertical a qualquer preço. Não force uma venda para quem não quer um jardim vertical ou não tem como pagar. Se a venda não deu certo, outras irão surgir.

2. Entenda sobre o financeiro

A ilusão de ser organizado anotando tudo sobre as suas finanças pessoais e empresariais, seja num caderno ou planilha, é o que mais afeta o empreendedor atual. Não que essa organização não seja importante, mas ela não é a inteligência financeira em si.

A inteligência financeira diz respeito à sua competência para tomar decisões assertivas com relação aos seus recursos econômicos, ou seja, é a sabedoria com que você maneja o seu dinheiro. Ela te ajudará a atingir seus objetivos na empresa de forma estratégica e segura, evitando empréstimos e dívidas.

Para conquistar tal sabedoria é preciso conhecer sua realidade financeira, isto é, saber os detalhes dos seus gastos e lucros (nisso o seu caderno ou planilha irá ajudar). Além disso, também é necessário estabelecer metas, conhecer bem o mercado em que você atua, poupar e investir – sempre com objetivos bem definidos.

Pode parecer complexo no início, mas há diversos conteúdos gratuitos e acessíveis que podem te ajudar a conquistar a inteligência financeira, seja por meio de vídeos no YouTube, influencers, cursos, livros, artigos em blogs e afins. Investir na sua inteligência financeira é investir na estabilidade e crescimento da sua empresa.

3. Saiba calcular a mão de obra

A mão de obra é um dos cálculos mais importantes para sua empresa de jardins verticais. Nesse sentido, o planejamento é o segredo: você precisa colocar tudo na ponta do lápis no momento do orçamento e saber quanto tempo irá durar a obra, sempre calculando com uma margem de erro. Pode parecer simples, mas pense que se você calcular 3 dias para finalização da obra e durar 5 dias, 2 dias serão retirados do lucro da empresa. Então, é preciso atenção nesse cálculo. Valorize também o seu trabalho! 

Outra questão importante é evitar pagar a mão de obra por dia, porque dessa forma fará mais sentido o seu funcionário demorar para finalizar a obra, com o objetivo de receber mais. Então, prefira pagar por obra. Regulamente seus funcionários, contrate-os e ofereça a eles direitos trabalhistas básicos. Se a média de verticais projetados da sua empresa for ultrapassada, dê comissão aos funcionários pela mão de obra. O mais importante é você realizar um cálculo bem-feito para evitar prejuízos e entender que esse cálculo será consequência de um bom planejamento e de um orçamento bem-elaborado.

4. A qualidade vem antes do preço

Jardins verticais profissionais são produtos de alto padrão, que oferecem não só um revestimento verde encantador, mas também bem-estar. A experiência de compra do cliente é uma das coisas que mais impacta na qualidade do seu serviço, ainda que a qualidade do seu produto seja de maior valor.

Verticais sem manutenção excessiva, com plantas saudáveis e clientes satisfeitos, são verticais de sucesso. Por isso, tenha em mente que a qualidade do seu serviço sempre estará à frente do preço que o cliente irá pagar. Não tente baratear o vertical com improvisos ou materiais inferiores. Preze por um resultado de alto padrão, mesmo que o preço pareça alto ele é o reflexo de um trabalho exclusivo para um público Classe A.

Um passo de cada vez…

Lembre-se que se informar e estudar sobre empreendedorismo é a melhor atitude que você pode tomar para que sua empresa cresça de forma segura e evite desconfortos empresariais e dívidas. Estude sobre finanças, gestão, elaboração de orçamento, processos e valores empresariais (cultura). Peça ajuda de amigos, familiares e de outros empresários se for preciso, não espere as coisas começarem a dar errado para perceber que ninguém cresce sozinho. Conquiste seu espaço no mercado aos poucos, dando um passo de cada vez. Agora que você recebeu alguns conselhos importantes, aproveite para se inspirar e espalhar o verde pelo Brasil.

 

Redação: Bruna Camargo Correa

Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no google
Google+
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no pinterest
Pinterest